[Atualizado] Como gerir as crises na segurança privada?

Mesmo contando com um forte esquema de proteção, as crises podem surgir em empresas. Por isso, é primordial que a companhia tenha o hábito de planejar ações prevendo certas ocorrências. Gerir as crises na segurança privada requer muito estudo e planejamento. É necessário o envolvimento de todos os colaboradores para que possíveis danos sejam minimizados em situações adversas.

A movimentação causada pela crise do Coronavírus no mercado, acendeu um alerta ainda maior para o tema. Por este motivo, é preciso estar atento a determinados pontos que podem fazer a diferença quando o assunto é gerir as crises na segurança privada. 

Separamos neste artigo, dicas importantes que podem ser utilizadas para criar um plano para momentos excepcionais na sua empresa.

Continue a leitura e confira!

O que é gerenciamento de crises? 

As crises são situações negativas que podem atrapalhar o funcionamento habitual de uma empresa. Para que ela não se prolongue e possa atrapalhar ainda mais a rotina, é necessário estabelecer uma política de resposta rápida para normalizar o ambiente. O gerenciamento de crise na segurança conta com medidas predeterminadas que são colocadas em prática no momento em que as ações negativas estão ocorrendo, o que no caso de uma pandemia, deve estar alinhadas às recomendações dos órgãos de saúde.

Plano de contingência

O plano de contingência é uma das maiores armas para gerir as crises na segurança privada. Com ele é feita a análise de todos os prováveis riscos e quais recursos podem ser utilizados para pôr fim aos momentos de tensão. Além disso, são elaboradas estratégias que vão ser utilizadas para normalizar o ambiente da empresa. Caso você queira saber mais sobre o plano de contingência clique aqui e veja em nosso blog o texto que preparamos sobre esse tema.

Estudo de caso

Uma boa alternativa para criar soluções para gerir as crises na segurança privada é estudar os casos que já aconteceram. Assim, é possível ter uma boa noção do que deu certo ou errado em crises passadas. Deste modo, pode-se criar soluções que corrijam os erros e aproveitar e aprimorar o que deu certo. Esse tipo de informação também ajuda a evitar que ocorrências indesejadas se repitam. É muito valioso para uma empresa ter esse tipo de informação armazenada em seu banco de dados.

Criação de medidas preventivas

Depois de criar um plano de contingência e estudar os casos passados, é necessário fazer medidas para evitar que as crises aconteçam. O mais comum é a realização constante de indicadores de riscos. Com isso, são encontradas possíveis brechas para futuras ocorrências. O uso de uma planilha de análise de risco é o mais indicado nesse tipo de situação. O Grupo Globalseg disponibiliza um modelo totalmente gratuito do método Mosler, um dos mais utilizados em todo mundo. Faça o download gratuito clicando aqui.

Treinamento

A última etapa para gerir as crises na segurança privada é o treinamento dos profissionais. Isso vai além dos vigilantes, os outros colaboradores também devem receber treinamentos periódicos para saber como agir em situações adversas. Assim, a probabilidade é maior que os prejuízos tanto ao patrimônio quanto aos colaboradores sejam mínimos.

Alternativas que possibilitem o home office, se tornou um item indispensável hoje em dia. Vale a pena conhecer e trabalhar com ferramentas web ou baseadas na nuvem, facilitando o acesso remoto de colaboradores e parceiros. Prever os custos para viabilizar formas de um colaborador trabalhar remotamente, também deve ser considerado no momento do plano de contingência.

Pronto, agora você conhece dicas que podem fazer a diferença para gerir as crises na segurança privada e na saúde do seu negócio como um todo. Não deixe de compartilhar este conteúdo nas redes sociais e clicar no sino ao lado para receber as novidades do Grupo Globalseg.



Comente via Facebook

Compartilhe: