Saiba quais são os custos da vigilância orgânica

custos da vigilancia organica

A segurança orgânica ainda é utilizada por muitas empresas que precisam contar com um vigilante. Porém, esse serviço, em grande parte das vezes, vem sendo cada vez mais substituído por uma empresa terceirizada. Isso se deve, principalmente, pelos custos da vigilância orgânica e as responsabilidades legais que a empresa possui.

Por isso, nesse artigo vamos apresentar os principais custos da vigilância orgânica. Assim, é possível fazer uma previsão dos gastos que sua empresa terá se optar por esse tipo de serviço. Também vamos apresentar algumas responsabilidades legais que são obrigatórias para quem quer um vigilante que não seja de uma empresa especializada. Confira!

Salário

Ao contratar um funcionário para qualquer área da sua empresa é preciso arcar com um salário compatível para a função. O vigilante possui sindicato e piso salarial estabelecido de acordo com as convenções. Por tanto, quem deseja investir em segurança por conta própria precisa seguir a legislação. O pagamento de pessoal é um dos custos da vigilância orgânica que não preocupa quem escolhe terceirizar os serviços de proteção.

Encargos trabalhistas

Quem possui uma empresa sabe que os custos que envolve a contratação de um funcionário vão muito além do salário. O Brasil é um dos países que tem um alto número de encargos que são de responsabilidade do contratante como férias, 13º salário e descanso remunerado. Além disso, existem os encargos sociais, por exemplo, INSS e o FGTS.

Escala de trabalho e afastamento

A jornada de trabalho do vigilante é de 44 horas semanais, podendo trabalhar em escala como a 12×36. Isso acaba criando uma limitação para a empresa, que precisa contratar mais funcionários ou a segurança pode ficar comprometida. Além disso, existem outras questões legais que podem impedir o trabalho do vigilante como afastamento, férias e folga. Quem opta por contar com uma empresa terceirizada não tem essas preocupações e caso o vigilante não possa trabalhar rapidamente ele é substituído.

Equipamentos

Para que o vigilante desempenhe a sua função corretamente ele deve possuir todos os equipamentos necessários. Caso você deseje que ele trabalhe armado é preciso recolher várias autorizações em diversos órgãos como a Polícia Federal e o SINARM (Sistema Nacional de Armas). Outros equipamentos também fazem os custos da vigilância orgânica aumentar como o uniforme que também deve seguir regras e o colete a prova de bala.

Treinamento, formação e reciclagem

Os vigilantes precisam passar por treinamentos para que eles possam tomar as melhores decisões em situações indesejadas. Além disso, a empresa que for contratar um profissional precisa conferir se ele possui a CNV (Carteira Nacional do Vigilante), somente assim ele pode exercer as funções. Vale lembrar, que a licença precisa ser renovada a cada 2 anos e seu vencimento deixa o vigilante ilegal para exercer seu trabalho.

Autorização da Policia Federal

A empresa que pretende ter um vigilante por conta própria além de todos os requisitos precisa obter a autorização da Polícia Federal. Além de ser autorizada, a empresa tem que seguir rigorosas regras e seu descumprimento pode gerar altas multas. Também é preciso atualizar todas as informações no GESP, assunto que trataremos no próximo tópico.

Administração do GESP

O GESP é um sistema obrigatório para qualquer empresa que possui sob sua responsabilidade qualquer serviço de segurança privada. Ele foi criado com o intuito de fiscalizar, se não for atualizado conforme a lei, a empresa fica passível de multa e até suspensão das atividades de segurança. O GESP implica altamente nos custos da vigilância orgânica, pois requer uma pessoa treinada que entenda do seu funcionamento.

Pronto, agora você já sabe quais são os custos da vigilância orgânica. Contar com uma empresa que possa cuidar da segurança do seu negócio pode ser a melhor opção. Desta forma, você não terá que se preocupar com todas as obrigações legais e trabalhistas. Além disso, você pode se concentrar nas atividades da sua empresa e deixar a segurança nas mãos de quem tem experiência e entende do assunto.

Clique no sino ao lado e receba novidades relevantes sobre a vigilância patrimonial.



Comente via Facebook

Compartilhe: