Cão de guarda: como utilizar na vigilância patrimonial?

cao de guarda

A vigilância patrimonial utiliza de diversos recursos para aumentar a proteção contra ameaças da sua empresa. Geralmente, as câmeras de segurança, placas, barreiras e alarmes são os mais utilizados para auxiliar o trabalho dos vigilantes. Porém, existem maneiras mais antigas de se evitar ocorrências que ainda não perderam o seu valor, uma delas é o cão de guarda.

O cão de guarda vem sendo utilizado por vários anos para ajudar na segurança de casas, empresas e até grandes eventos, como jogos de futebol. Se engana quem pensa que com o crescente uso da tecnologia na vigilância privada o cão de guarda tenha perdido espaço.

Pensando nisso, preparamos esse texto para apresentar algumas formas corretas para o uso do cão de guarda. Continue a leitura e veja!

Benefícios do uso do cão de guarda

O uso do cão de guarda traz diversos benefícios para a segurança da sua empresa ou residência. Umas das principais vantagens é que ele pode inibir possíveis invasores. Normalmente, o cão de guarda significa um obstáculo para o provável meliante, por isso, a probabilidade de arrombamentos e invasões ficam menores.

Outra qualidade dos cães é o grande alcance auditivo que eles possuem. Com isso, eles podem detectar a presença de pessoas em uma grande distância. Deste modo, é possível espantar indivíduos suspeitos ou alertar sobre a existência de invasores com o latido.

Como utilizá-lo?

Você já viu as vantagens do cão de guarda, mas você sabe como utiliza-lo na segurança privada? Primeiro, é preciso estar atento para a legislação sobre o seu uso. A lei atual diz que os cães têm de ser adestrados e precisam estar sempre acompanhados por um vigilante habilitado para condução de animal.

É necessário que o cão de guarda viva em um local com boas condições de higiene e que tenha estrutura adequada. Por situações de irregularidade e maus-tratos algumas cidades, como a de São Paulo, estudam projetos para a proibição do uso de animais por empresas de segurança privada.

O cão de guarda pode ser utilizado em postos fixos, como portões de acessos, em frente a guaritas e locais específicos que necessitam da presença de um vigilante. Os animais também podem fazer às atividades de ronda a pé, já que, algumas raças utilizadas possuem bastante resistência. O cão de guarda possui o olfato muito aguçado, facilitando na busca e na identificação de invasores.

Quais são as raças mais utilizadas?

Como já havíamos citado, para usar o cão de guarda na segurança privada é necessário possuir um vigilante habilitado. Os animais também devem ser adestrados por um profissional qualificado e capacitado. A escolha da raça é muito importante, afinal, cada uma possui uma característica própria que pode facilitar o treinamento. Abaixo estão as raças mais utilizadas:

  • Pastor Alemão
  • Pastor Belga
  • Dobermann
  • Boxer
  • Fila
  • Bullmastiff
  • Rhodesian Ridgeback

Agora, você sabe a importância do cão de guarda e como utiliza-lo corretamente. O uso de animais se mostra muito eficiente em conjunto com uma equipe de vigilantes treinados e tecnologia de monitoramento. É essencial que os cães sejam utilizados da forma correta e dentro da legislação do setor.

Gostou deste texto? Temos em nosso blog diversas dicas para você melhorar a proteção da sua empresa e deixar os seus colaboradores com maior sensação se segurança. Clique aqui e se cadastre para receber a nossa Newsletter.



Comente via Facebook

Compartilhe: