Arma de fogo na segurança privada: quando o vigilante deve usá-la?

arma de fogo na segurança privada

Os vigilantes necessitam de diversos equipamentos para agir em casos de prováveis ocorrências. Entre aqueles que são mais utilizados alguns são indispensáveis, por exemplo, o uniforme, que é um importante meio de identificação. A arma de fogo na segurança privada possui um papel significativo, porém, é necessário entender que o seu uso demanda muito cuidado.

Como é um equipamento letal, a arma de fogo na segurança privada requer muito preparo dos vigilantes. Uma das principais dúvidas dos contratantes de um serviço de proteção é: quando a arma de fogo deve ser utilizada? Pensando nisso, preparamos esse artigo que vai esclarecer essa dúvida. Confira!

Quando utilizar a arma de fogo na segurança privada?

O vigilante deve usar a arma de fogo na segurança privada somente em último caso. Sendo assim, o funcionário deve ser bem treinado para saber que o uso de armamento letal seja o recurso final para situações de perigo.

Caso o aviso não funcione, é recomendado que o vigilante chame reforço. Em situações de extrema emergência ou que ultrapassem os limites da área da empresa é necessário acionar a polícia militar. É importante ressaltar, a arma deve estar em punho apenas nos casos em que o delinquente possa estar ameaçando a vida de pessoas ou até mesmo do próprio vigilante. Ao contrário disso, não é recomendado em hipótese alguma, a utilização da arma de fogo na segurança privada.

Se a ação do infrator for desarmada, existem outras alternativas para que o vigilante possa lidar melhor com a situação. Sendo assim, é recomendado o uso dos equipamentos não letais, como cassetete ou arma de choque.

Porte de arma

Os funcionários devem possuir a CNV (Carteira Nacional do Vigilante) e o curso de vigilante armado. Assim, ele é autorizado a ocupar o cargo, a renovação é necessária de 2 em 2 anos. A arma de fogo na segurança privada é de posse e responsabilidade da empresa prestadora do serviço, ou seja, seu uso é exclusivo para o vigilante em horário de trabalho. O funcionário não poderá utilizá-la fora do expediente e nem levá-la para a sua residência.

O que foi dito acima é aplicado para os funcionários da escolta armada. Com exceção do curso extensivo que o vigilante deve fazer para trabalhar na defesa de cargas valiosas. Mesmo com autorização para o uso de arma de fogo, o funcionário poderá responder por porte ilegal se pego com ela fora do horário de trabalho.

É importante destaca mais uma vez que as responsabilidades pelo vigilante e a arma são da empresa prestadora do serviço. Com isso, a empresa contratante não terá responsabilidade com as questões legais.

O uso da arma de fogo na segurança privada requer cuidado e profissionais qualificados. Afinal, estamos falando de vidas e por isso o preparo dos vigilantes é tão fundamental.

Gostou desse post? Clique aqui e conheça quais são os equipamentos mais utilizados pelos vigilantes. Não esqueça de compartilhar nas redes sociais e em caso de dúvida deixe seu comentário abaixo.



Comente via Facebook

Compartilhe: